terça-feira, 12 de junho de 2012

Cidade estranha...

Sou um estranho,
Passeando numa cidade,
Que não é a minha,
Sou um estranho,
Olhando para o lado,
Observando a cidade,
Com olhos,
De pessoa estranha,
Olhando para o estranho,
Que é a cidade…

Sou um estranho,
Passeando pelos paralelos,
Olhando ao redor,
Vendo estranhos adormecidos,
Junto aos paralelos,
Que piso,
Junto aos bancos de madeira,
Que me sento,
Observando a tranquilidade,
Destes estranhos que dormem,
Enquanto os restantes estranhos,
Vivem em redor,
Em plena agitação do dia,
Olho para estes que para mim, são estranhos,
Que para os restantes estranhos,
São meras habituais moradores de rua…

Sou um estranho, no meio dos estranhos,
Que me interrogo:
Quem dorme na rua, dormirá por opção,
Ou por falta de opção?!

Sou um estranho aos outros,
Não habito nesta cidade,
Vivo numa aldeia com outros,
Que para mim me trazem mais felicidade,
Que esta cidade,
Que de felicidade nada tem,
Tem sim, pobreza,
Tem sim, poluição,
Tem sim, falta de civismo,
Tem sim, multidão de gente,
Sem educação…

Sou um estranho numa cidade,
Para muitos, perfeita,
Sou um estranho numa cidade,
Para muitos, digna de se viver,
Sou um estranho numa cidade,
Que para mim não tem espaço,
Que para mim não serviria para eu viver…

Não serve para viver,
Não pelos estranhos que dormem na rua,
Esses não incomodam ninguém,
Desses tenho compaixão,
E se fosse preciso dar-lhes-ia um pedaço de pão,
Não serve para viver,
Pela poluição,
Pela falta de civismo,
Que se vê instalada em cada esquina,
Pela falta de educação,
Que se vê em cada pessoa,
Pelo stresse diário,
Que se sente em cada rua,
Pela falta do verde verdejante,
Que não se sente,
Pela falta do perfume do campo,
Que não se cheira,
Pela falta da melodia do mar,
Que não se ouve…

Serei sempre um estranho,
Numa cidade que para mim não foi criada…

Susana V

4 comentários:

  1. É estranho ter que viver num lugar onde nos sentimos assim, pessoa estranha. Lugar onde não nos adaptamos. Mas às vezes se faz necessário.
    Abraços.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É estranho viver numa cidade que nos é estranho, numa cidade com que não nos identificamos, mas que por forças maiores é nela que temos de viver. Ao contrário do poema eu não vivo num lugar estranho, vivo num sitio para mim perfeito :)
      Beijos

      Eliminar
  2. E td vem de um complexo de descasos...bjs menina!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela sua leitura :) Beijos Yohana

      Eliminar

Abre a tua alma...